Blog do Cyrillo

Rogério Marinho comanda. Oposição à Fátima começa a definir nomes para a batalha das urnas

Dois ministros de estado, quatro deputados federais, mais da metade dos deputados estaduais, presidente da câmara dos vereadores de Natal, FECAM e FEMURN, entre outras lideranças importantes do estado. Esse é o batalhão de políticos que se organiza contra a atual gestão do RN.

Fátima vai enfrentar uma rejeição jamais superada por qualquer candidato a reeleição, algo em torno de 35% e um batalhão de opositores muito bem treinados e comandados.

Diariamente as conversas sobre a retomada do RN pelos "moderados" dá um passo.

Rogério Marinho, Fábio Faria, Benes Leocádio, Walter Alves, General Girão e Ezequiel Ferreira, Gustavo Carvalho, Eudiane Macedo, Tomba, Álvaro Dias, Fábio Dantas, Paulinho Freire, vários partidos, inclusive os de centro-esquerda como PV e CIDADANIA. Esse é o batalhão que se organiza para a disputa do governo do estado.
Rogério se agigantou no governo Bolsonaro. Ele comanda às ações do governo federal no RN e sabe como ninguém capitalizar força política com essas ações. 


Em Brasília e no estado, eles se reúnem ou se falam diariamente com o intuito de montar a chapa que RETOMARÁ o estado de volta, dos braços dos "afamados" petistas "mágicos".

Por enquanto a chapa está se formando assim:
Álvaro, Benes ou Tomba para o governo; Rogério Marinho para o senado e Eudiane Macedo para vice.

Fábio Faria não conseguiu, por enquanto, emplacar seu nome para o senado, que é o seu desejo pessoal. A sua distância natural - sempre foi assim - dos prefeitos do interior, não lhe dá a capilaridade necessária para um projeto de eleição ao senado. 

As pesquisas, mês a mês, são claras feito as águas do Rio São Francisco chegando ao RN pela transposição. Para o senado, os nomes que ganham força a cada levantamento são os de Rogério Marinho e Carlos Eduardo. 

O pedetista está afastado desse batalhão, foi 'sentar praça' noutro quartel e deverá compor com a atual governadora. Há quem aposte uma usina de cana de açucar, que Carlos Eduardo será o senador de Fátima Bezerra. Para alguns experientes observadores, essa chapa é imbatível.

Rogério Marinho fala semanalmente com cada um desses citados na matéria. Em Brasília ou em Natal, Marinho não para de articular. 

A prioridade na cabeça de chapa é para Álvaro Dias, prefeito de Natal. Em segundo é o nome de Benes Leocádio, deputado federal e que tem quase zero de rejeição, entra facilmente em cada município do estado e abriria a vaga que a assembleia quer para eleger Gustavo Carvalho deputado federal.

A terceira opção, que já disse sim, é o deputado estadual da região do Trairi, Tomba Farias. 

Álvaro prometeu responder ano que vem; Benes pediu mais um tempo e Tomba disse sim na hora. 

Olho nas pesquisas e orações para Álvaro mudar de ideia e topar a parada. É o nome que polariza com Fátima por causa das ações na pandemia do COVID-19. Dias enquadrou a governadora de Lula com seus acertos em cada ação de combate ao vírus chinês. 

Pra cada leito não aberto e pra cada respirador desaparecido pelo governo do estado, Álvaro sobe um degrau na luta de 2022. 

Outro nome que surge bem e pode ser indicada para vice tanto na chapa de Fátima quanto da oposição é o da deputada da zona norte de Natal, Eudiane Macedo. Ela goza da simpatia de Fátima e do respeito de Ezequiel Ferreira, presidente da casa legislativa estadual. Para tirá-la do radar do governo PT, Eudiane poderá ser vice da oposição.

A Câmara de Natal tem tudo para entrar nesse tabuleiro. Paulinho, caso desejasse, poderia ser um fortíssimo candidato a deputado federal. As câmaras do RN juntas, certamente lhe elegeriam. Mas, segundo consta, Freire não abre mão de estar fazendo a articulação da casa do povo com o palácio Felipe Camarão. Essa é a missão do habilidoso e paciente vereador "carnatalesco". 

Gustavo tem novos e fortes motivos para aceitar ser deputado federal. Ele sempre foi relutante, nunca se imaginou fora do circuito Tirol/Petropolis/Pirangi do Norte. Mas, agora topa. 

Em tempo: Fátima chegou a ter 43% de rejeição em meados de 2020. Se ficar acima de 30% no ano que vem, dificilmente conseguirá sucesso na tentativa de reeleição. Vai ao segundo turno, mas trava na rejeição na hora do "vamos ver". 

Em tempo 2: Álvaro vai ser muito assediado para encarar a candidatura ao governo. É, de longe, o nome mais viável da oposição.

Em tempo 3: O senador Stivenson Valentim aparece em segundo em todos as pesquisas. Se ele resolver ouvir alguém com experiência na política, poderá fazer um grande barulho.

Em tempo 4: Carlos Eduardo está fora dessa festa. Ele paga o preço da distância com que trata seus aliados. Se mudasse seu jeito "frio" de ser, estaria nesse jogo com muito mais força. 

Em tempo 5: Deverá sobrar para o ex-prefeito, compor com Fátima. Soube que ela o recebe hoje mesmo, caso ele sinalize que quer.

Em tempo 6: A vaga de vice na chapa de Fátima está aberta. Antenor Roberto quer ser desembargador do TJ-RN e a governadora deverá indicá-lo para o cargo, assim que surgir a vaga.

Em tempo 7: Jean Paul-Prates fica à deriva aguardando Carlos Eduardo decidir se vai ou não vai para o colo do PT. Soube que o Prates já tem alguns partidos debaixo do braço para se candidatar a reeleição, caso Fátima lhe dê um "canto de carroceria". 

Em tempo 8: Fábio Dantas é o "coringa" de Rogério Marinho. Se a governadora estiver "bem na fita" e as pesquisas digam que ela não perderá de jeito nenhum, o grupo joga Fábio Berckmans para encarar o atual governo. Será o "soldado paraquedista precursor". A reeleição de sua esposa na assembleia legislativa é a prioridade da família. 

Em tempo 9: O PV e o CIDADANIA foram escanteados por Fátima. Prestígio zero. Apoiaram o PT na guerra eleitoral e não foram convocados para compor o governo. Wober Júnior e Rivaldo Fernandes, líderes de seus partidos, não pretendem subir novamente no palanque "estrelado". 
Professor-doutor Emanuel Márcio Nunes é Coordenador de Pós-Gradução da UERN em Mossoró. 


Em tempo 10: O PV terá candidatura própria ao governo e ao senado. O professor Doutor da UERN, Emanuel Márcio Nunes, será o cabeça de chapa. Até plano de governo o PV está produzindo. Os bons ventos que sopram do Oeste Potiguar, com a eleição de Alisson Bezerra, poderá soprar duas vezes?

Cyrillo

Blogueiro político em busca de divulgar as verdades escondidas nos atos dos atores políticos.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem