Excelência Nacional. Giselda Trigueiro mostra COVID sob controle

Por sua característica de Hospital de doenças infecciosas, o Giselda Trigueiro é um retrato dos vários momentos da Covid ao longo desses seis meses de pandemia. O hospital teve a abertura de 37 leitos críticos, todos com respiradores, que internaram 532 pacientes, 111 foram a óbito. 

Dr. Geraldo Ferreira visitou o Giselda e conferiu os resultados dos tratamentos dos pacientes com COVID

O perfil predominante foi de idosos e obesos. O mês crítico foi junho com 32 óbitos, agosto ocorreram oito. Final de junho começou queda na ocupação dos leitos e hoje, 31 de agosto, dos 37 leitos, 13 estão ocupados com Covid, sendo quatro pacientes em respirador. A queda na ocupação de leitos é significativa, ainda mais diante do fechamento das Uti’s Covid do Walfredo, do Hospital da Polícia que passam a ser referenciados para o Giselda. 

Dr. Geraldo Ferreira visitou o Giselda Trigueiro e registrou suas impressões nesse vídeo.

A expectativa da direção da Unidade, Dr. André e Dr. Sávio à frente, é de que permanecendo a pandemia sob controle, o hospital mantenha os leitos por meses ainda e depois permaneça com oito leitos críticos para os casos residuais, diante do fato que os casos diminuirão, mas permanecerão endêmicos mesmo com uma solução mais definitiva por uma vacina. O hospital teve ao longo dos meses uma mortalidade dentro dos mais baixos patamares nacionais para pacientes críticos, abaixo de 30% contra uma média nacional de 49%, o que mostra a excelência do atendimento e da equipe profissional. 

Médicos do HGT mostraram tudo e deram os números atuais dos atendimentos dos pacientes com COVID-19

O quadro atual do hospital Giselda Trigueiro reflete o momento de recuo da pandemia no Estado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas