Hospitais de campanha. 'O Vírus que quer virar cupim'.

Quando o dinheiro público aparece, nas situações dramáticas ou emergenciais, surgem também os aproveitadores. Os muitos e de sempre, que através de manobras, disfarces, artimanhas e espertezas procuram um jeito de se beneficiar. E a praga do cupim surge para comer o dinheiro público. Os hospitais de campanha para combate ao coronavírus são o cupim da vez.

Geraldo Ferreira do SINMED aciona mais uma vez a justiça.

No Rio de janeiro, do Governador Witzel, foram investidos 835 milhões em 1.400 leitos, dando a fábula de 600 mil reais por leito, o Hospital de campanha do Governo do nosso RN previa 37 milhões para cem leitos, dando a extravagância de 370 mil por leito e agora aparece a suposta contratação de uma empresa privada que ao custo de 29 milhões vai cuidar do hospital de campanha do município de Natal. Uma empresa que nunca trabalhou com mão de obra médica e nunca gerenciou um hospital. 

Vamos acionar a justiça mais uma vez para proteger o dinheiro público. Encaminhamos representação ao Ministério Público Estadual e ao Federal e estamos acionando o Ministério Público do Trabalho e o Tribunal de Justiça para que se fiscalize cada custo, lisura do processo, legalidade dos entes, e que determine que os médicos sejam contratados unicamente no formato de contratos que preservem seus direitos trabalhistas, em razão do alto risco que envolve lidar com os pacientes, que podem levá-los a contrair a doença, levar ao afastamento do trabalho e deixar esses profissionais entregues á própria sorte, sem qualquer ganho. 

O vírus vem mostrando muita capacidade avassaladora de abalar a saúde e a economia como um todo, não podemos como sociedade deixar agora que ele vire cupim do dinheiro público.

Geraldo Ferreira - Presidente do SINMED/RN.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas