Blog do Cyrillo

Selic sobe para 10,75%, maior patamar desde abril de 2017

 


A taxa básica, a Selic, subiu de 9,25% para 10,75% ao ano nesta quarta-feira (2). A decisão do Copom (Comitê de Política Monetária) foi unânime e era esperada pelo mercado.

Os juros chegaram ao maior nível desde abril de 2017, quando esteve em 11,25% ao ano.

O colegiado aumentou a Selic pela 8ª vez consecutiva. Foi a 3ª alta consecutiva de 1,5 ponto percentual. O Copom começou a subir os juros em março de 2021, de 2% para 2,75%. Relembre:

março de 2021 – de 2% para 2,75% (+0,75 p.p.);
maio de 2021 – de 2,75% para 3,5% (+0,75 p.p.);
junho de 2021 – de 3,5% para 4,25% (+0,75 p.p.);
agosto de 2021 – de 4,25% para 5,25% (+1 p.p.);
setembro de 2021 – de 5,25% para 6,25% (+1 p.p.);
outubro de 2021 – de 6,25% para 7,75% (+1,5 p.p.);
dezembro de 2021 – de 7,75% para 9,25% (+1,5 p.p.);
fevereiro de 2022 – de 9,25% para 10,75% (+1,5 p.p.).
ENTENDA O COPOM

O comitê é formado pelos diretores do BC (Banco Central). Reúnem-se a cada 45 dias para definir os juros. A Selic é o principal instrumento para controlar a inflação.

O mercado financeiro esperava a alta de 1,5 ponto percentual na Selic nesta quarta-feira (2). As estimativas das principais instituições já indicavam Selic de 10,75% ao ano. O colegiado havia sinalizado elevar o percentual para este patamar.

A Selic subiu 7,25 pontos percentuais em 2021, a maior alta da série histórica.

O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) terminou 2021 em 10,06%, patamar que é 6,31 pontos percentuais acima da meta de inflação. O presidente do BC (Banco Central), Roberto Campos Neto, precisou divulgar uma carta pública com as justificativas para o descumprimento do objetivo inflacionário.


Cyrillo

Blogueiro político em busca de divulgar as verdades escondidas nos atos dos atores políticos.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem