Recuperação da escadaria de Mãe Luiza recebe arte em mosaicos

Quase um ano após o início do projeto de repaginação da escadaria de Mãe Luiza, o processo segue a todo vapor. A escadaria está localizada em Areia Preta, na Zona Leste da capital potiguar, e vem recebendo a intervenção artística de mais de 20 artistas locais representados através do graffiti e de mosaicos nos pórticos e degraus. O projeto é da Prefeitura de Natal, através da Secretaria Municipal de Cultura (Secult-Funcarte) e está previsto para ser entregue até o final de outubro deste ano.



A revitalização com mosaicos foi projetada e idealizada pelos mosaicistas Gildeci Pereira, Liana Diógenes, João Batista de Lima, Rosangela Rocha e Wendell Eduardo. Os artistas ainda contam com o auxílio de dois ajudantes em cada ateliê para a produção das peças. As referências utilizadas para a criação do material variam de acordo com as técnicas individuais de cada um, remetendo às belezas e à cultura do povo potiguar. As peças, em conjunto com os graffitis já aplicados, farão do ambiente uma obra de arte ao ar livre, no local preferido pelos moradores da região para a prática de esportes.

“Vamos colocar arte na nossa escadaria, da Praia de Areia Preta. Como já fizemos com o grafite nesse local, e próximo, na beira-mar de Areia Preta e Miami”, comentou o prefeito de Natal, Álvaro Dias, referindo-se às intervenções artísticas da área, que valorizam não apenas o bairro que está na rota de turistas, mas a arte urbana de produção local.



Liana Diógenes terá sua arte estampada na cidade pela primeira vez e conta com o apoio de uma equipe para produzir as peças mais difíceis do projeto, que irão embelezar o arco de entrada da escadaria de Mãe Luiza. Usando como referência o arquiteto espanhol Antoni Gaudí, a mosaicista utiliza a técnica trencadis, com tesselas (pequenas pedras cortadas e idealizadas) de tamanhos e formatos variados e únicos. "Decidimos que iríamos usar nossa arte para mostrar riquezas naturais e culturais da nossa cidade e estado, assim, como a área destinada a mim foi o arco da frente, optei por retratar as riquezas do fundo do mar do nosso litoral”.

Outra técnica utilizada foi a circularidade infinita de Escher, com base no estilo Bizantino, que vai do século 2 d.C até o século 12 d.C, pelo artista

Wendell Batista. Responsável por 35 espelhos dos degraus da escadaria de Mãe Luiza, o artista ainda trará referências arqueológicas datadas de antes de Cristo, encontradas em áreas antigas da cidade de Jericó. Wendell já possui um trabalho com mosaicos na Escola Estadual Monsenhor Alfredo Pegado, também no bairro de Mãe Luiza. O painel de 35 metros quadrados foi produzido com o auxílio de 100 crianças da comunidade, envolvidas no projeto “Brincando pela Paz”, no ano de 2018. “A produção está muito boa! Estamos produzindo cinco dias por semana, das 8h às 17h. A previsão de entrega eram três meses, mas finalizaremos em dois meses e oito dias, então acredito que no começo de julho a obra já estará fixada na arquitetura platônica dos espelhos da escadaria”.

De acordo com o secretário de cultura de Natal, Dácio Galvão, a cidade deverá ter o maior painel artístico-artesanal em área pública, em cerâmica vitrificada e craquelada do Rio Grande do Norte, ou talvez do país. “Somado a essa dimensão, ela carrega consigo uma rica iconografia identitária do Estado, elaborada pelos mosaicistas sob a supervisão do Departamento de Artes Integradas da Secretaria de Cultura”, destacou o secretário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sargento da Marinha morre afogado em praia de Maceió

Fuzileiro Naval é encontrado morto dentro do quartel

Faleceu Jonaldo Batista, ex-árbitro de futebol do RN