Coronavírus: proteção para idosos durante pandemia é debatida por Comissão




O avanço do novo coronavírus assusta toda a população mundial, sobretudo as pessoas idosas, mais atingidas na forma grave da Covid-19. Para alinhar o combate à doença, a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, Proteção das Mulheres, dos Idosos, Trabalho e Minorias da Câmara de Natal realizou, nesta sexta-feira (15), uma reunião remota para debater a política municipal para a terceira idade em tempo de pandemia. Entre os tópicos da pauta, destaque para a situação das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

André Arruda, presidente do Conselho Municipal do Idoso, falou que as entidades que abrigam os idosos precisam ter apoio extra durante o confronto contra a Covid-19, a fim de cuidarem melhor dos seus abrigados. "Estamos diante de um momento decisivo para idosos moradores de abrigos e casas de repouso, particularmente vulneráveis ao vírus. Faz-se necessário que o poder público trace estratégias para frear o contágio nesses espaços, para não vivenciarmos a mortandade registrada nos asilos da Europa e EUA. Também precisamos de mais recursos para salvar essas pessoas", defendeu ele. Ion de Andrade, vice-presidente do Centro Social Pastoral Nossa Senhora da Conceição, também acrescentou que orçamento disponível para o setor não é suficiente. 

Na sequência, a vereadora Divaneide Basílio (PT), presidente da comissão, disse que é preciso chamar a atenção para essa realidade, sobretudo neste momento de pandemia. "Estamos preocupados com a população idosa que vive em instituições por sua alta vulnerabilidade e pelo grande risco de ocorrência de um contágio em massa. Precisamos planejar ações para este período e além dele. Por exemplo, garantir mais recursos através da LOA já está entre as medidas que vamos adotar", garantiu a parlamentar.

A vereadora Eleika Bezerra (PSL) lembrou da ansiedade e depressão que afeta muitos idosos durante a quarentena. "Em meio à pandemia que enfrentamos, o isolamento é um dos recursos vitais para reduzir o ritmo de propagação. Ao passo que se trata de um cuidado muito bem indicado, a medida pode gerar emoções nos idosos, o que é capaz de colocar em risco sua saúde mental. Não podemos perder de vista esse aspecto. Aproveito para reforçar a necessidade de reforços financeiros para as ações a favor da população idosa".

Via: Câmara Municipal de Natal

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas