Por que Maurício Gurgel deixou o PSOL?

Mauricio Gurgel "larga" o PSOL e se joga no PV
As intimidades da saída de Maurício Gurgel do PSOL ainda não foram expostas, mas, como tudo na política, rapidinho saberemos.
Os rumores da saída do vereador da legenda, dão conta de que ele não sentia firmeza no trabalho de montagem da chapa para as eleições do ano que vem.
Eu fico com a tese de que Maurício tem medo da candidatura do professor Robério Paulino, o maior quadro intelectual do partido no estado e de que ele (MG) está prevendo uma queda na sua votação no próximo pleito.
O partido da vereadora carioca assassinada Marielle Franco, aqui no RN, é presidido pelo competente Danniel Morais, amigo pessoal e ex-assessor parlamentar do vereador Maurício Gurgel. 

O Professor Robério deverá herdar a vaga do deputado Sandro Pimentel, na assembleia legislativa, assim que o recurso do deputado seja julgado no TSE. Sandro teve as contas de campanha reprovadas e por isso teve o diploma cassado pelo TRE (1ª instância) e permanecerá no mandato até a decisão do TSE. Paulino é o primeiro suplente da chapa que elegeu Pimentel.
O medo de Maurício é compreensivo. Caso o PSOL não capriche na chapa, somente Robério conseguiria uma cadeira na câmara de vereadores no ano que vem. 

O fato de, nas eleições de 2018, o professor Luiz Carlos (ex-vereador) ter tido mais votos que ele para deputado estadual, deve ser também um alerta para Gurgel. Foram 7.847 votos do professor contra 7.038 de Maurício. 
Maurício, que é sobrinho "afim" do Deputado Vivaldo Costa, e que recentemente fechou acordo com Rivaldo Fernandes, presidente estadual da legenda verde, tem um grande apoio na sua retaguarda: o suplente de vereador de Natal, Lilico Bezerra, bisneto do último representante do coronelismo político do estado, o saudoso líder da região do Traíri, Major Theodorico Bezerra. 
Lilico Bezerra era tido como potencial candidato mas, sem explicar o motivo, resolveu coordenar a campanha de Maurício Gurgel, que vai tentar o terceiro mandato de vereador na capital potiguar. Lilico, o herdeiro da fazenda Irapuru, na cidade de Tangará, obteve mais de 3 mil votos em 2016, teve mais votos que nove vereadores que se elegeram nessa legislatura.
Pelas contas, uma chapa precisará, para eleger dois vereadores, cerca de 22 mil votos; para eleger três, precisará de 30 mil votos. 

Maurício e Robério. Caminharam juntos em 2018. Os dois foram candidatos a deputado estadual.
Maurício e Sandro Pimentel. Parceria que deu certo em 2018. 

Professor Robério. Grande quadro do PSOL no RN.

Lilico Bezerra e Cícero Martins. Caminharam juntos na eleição de 2018.

Luis Carlos, sem mandato, teve mais votos que Maurício sentado na cadeira.

Danniel Morais, atual presidente da legenda, foi um dos mentores da chapa vencedora de 2018 que elegeu Sandro à assembleia.


Comentários

Unknown disse…
Meu amigo, Cyrillo Fernandes, vc só tem uma bala e não erra o tiro. Houvi de varias fontes q Lilico Bezerra vai apoiar o vereador Maurício Gurgel. As fontes vm de dentro e de fora dos apoiadores de Lilico. As fontes de fora são pessoas idôneas, sérias, não dadas a fofocas e sem nenhuma pretensão em causar burburinhos. O motivo da desistência de Lilico não foi cogitado, mas vc sabe não está fácil formar nominatas em Natal. Os pré-candidatos que foram "esteiras" não querem ser mais. A mudança de legenda do vereador Maurício Gurgel é "prego batido, ponta virada". Parabéns! Vc acertou mais uma.
O observador disse…
O PV em Natal é um partido morto hj, pois depois da era Micarla essa legenda não consegue adeptos que realmente sigam a causa verde e sim oportunistas como o vereador citado na matéria. No Psol com os quadros realmente comprometidos com as causas sindicais e sociais o vereador Mauricio Gurgel não passaria nem de longe pela porta da Câmara municipal de Natal.

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas