Blog do Cyrillo

Dirigentes dos Centros Desportivos se reúnem e debatem sobre PL de Anderson Lopes

Dirigentes de Centros Desportivos de Natal se reuniram no Estádio Senador João Câmara, nas Rocas.

Dirigentes de pelo menos 15 Centros Desportivos de Natal se reuniram agora a pouco para discutir o projeto de lei do vereador Anderson Lopes que obriga as entidades desportivas a prestarem contas dos recursos recebidos do município ou de outras fontes.

A proposição é do vereador Anderson Lopes e tem o apoio da vereadora Ana Paula, esposa de Júlio Protásio, ex-vereador condenado na Operação Impacto e sentenciado a cumprir 6 anos e 8 meses de prisão em regime semi-aberto e pagamento de 150 salários mínimos de multa, os dois querem proibir qualquer cobrança para o uso dos equipamentos por parte da comunidade.

Em tempo: sou presidente do Centro Desportivo das Quintas, eleito recentemente e tenho convivência com essas entidades desde sempre.

Em tempo 2: fui administrador de todos os equipamentos esportivos de Natal - quadras, ginásios, campos, minicampos, socyte e tudo mais, da Prefeitura de Natal, de 2013 a 2017 e sei do que estou falando.

Em tempo 3: os dois vereadores sabem que para a manutenção de um campo de futebol que esses Centros Desportivos cuidam, precisa de dinheiro vivo, diariamente. 

Em tempo 4: funcionário para cortar e cuidar do gramado, adubos, manutenção de equipamentos da irrigação, hidráulica, elétrica, iluminação, limpeza, escolinhas e projetos sociais tocados pelos próprios centros, etc. 

Em tempo 5: Ana Paula e Júlio Protásio usufruíram por anos do campo do Jiqui, quando o saudoso Zé Maia presidia o centro de lá.

Em tempo 6: Anderson Lopes mora ao lado do Formigão, Centro Desportivo de Soledade II, que é o seu principal reduto eleitoral. Ele deveria saber das dificuldades que é administrar um equipamento desses sem recursos permanentes.

Em tempo 7: os dois vereadores, mesmo sabendo que a prefeitura da cidade só consegue atender as necessidades dos centros nas áreas de iluminação e de material esportivo, fazem questão de tentar proibir qualquer cobrança pelos centros aos usuários que jogam futebol nos campos. 

Em tempo 8: sem a cobrança, os centros não conseguem se manter. Quando queima uma bomba do sistema de irrigação, o conserto nunca é menor que 1 mil reais. Um nova, custa em média entre 5 e 8 mil reais, dependendo da sua potência. A prefeitura precisa fazer uma licitação para adquirir, no mínimo são necessários 30 dias para que todo processo se complete, e um gramado sem água durante 30 dias, ficaria somente a areia para contar a história. O prejuízo com isso acontecendo gira em torno de 300 mil reais.

Em tempo 9: acho um desperdício de tempo dos vereadores AA - Anderson e Ana com esse tema. O que os centros precisam é de apoio para seus eventos e união dos vereadores com a prefeitura para aumentar os recursos destinados à manutenção desses equipamentos. O valor anual é irrisório para tal fim. 

Em tempo 10: pela experiência na área eu me sinto a vontade para essa intromissão. Se quiser ideias para resolver de vez essa polêmica, me chama que eu tenho a solução. 

Cyrillo

Blogueiro político em busca de divulgar as verdades escondidas nos atos dos atores políticos.

Postar um comentário

Please Select Embedded Mode To Show The Comment System.*

Postagem Anterior Próxima Postagem