Para Kelps, Sandro, BG, Hermano e Carlos Alberto estão fora do jogo

Kelps chegou da Alemanha cego, escrevendo mal e com a miopia mais aguda.

No discurso ele prega o fim das oligarquias Alves, Maia, Rosado, Motta, Farias, Faria, etc. Na prática ele se elegeu com quase um milhão de reais doados pelo PMDB de Henrique, Garibaldi, Agnelo, Carlos Eduardo, Felipe e Valtinho Alves.

Ele foi palestrar para os alemães sobre "novas técnicas de comunicação em eleições". Diga aí, amigo leitor. Foi para ensinar e voltou craque em cegueira seletiva eleitoral.

Ao analisar as candidaturas para a eleição majoritária de Natal, hoje num artigo para o jornal Agora RN, ele considera HABILITADA somente as candidaturas dele, do prefeito e do candidato(a) do PT.

BG e Sandro do PSOL com 5,9% e o Professor Carlos Alberto com 4,0%, além de Hermano do PSB com 2,6 que, dentro da margem de erro, está empatado com todos, para Kelps estão fora do jogo. Ou seja - nas palavras dele - estão DESABILITADOS.

Sabemos que o único ESTACIONADO é ele, que tem oscilado para baixo, entre 7,5% e 5,2% nas últimas pesquisas divulgadas de agosto para para cá.

Carlos Alberto do PV cresceu significativamente, Sandro também, BG surgiu e cresce a cada pesquisa e Hermano Morais é o que mais agrega forças ao seu redor.

Kelps vem se "derretendo" ao longo do tempo. Vejam só seus números para deputado nas urnas de Natal:
2010 - 12.669 - venceu a filha da governadora e o esposo da prefeita de Natal;
2014 - 17.557 - venceu o pai do prefeito de Natal e o presidente da assembleia;
2018 - 11.312 - queda brusca. Perdeu para Sandro Pimentel e Cel. Azevedo, dois postulantes à prefeitura que ele hoje despreza.

O pré-candidato Kelps escorrega na interpretação dos números e dos fatos. Sei que isso é proposital e costumeiro do deputado do celular. 

Desprezar as candidaturas de Hermano, BG, Carlos Alberto do PV e Sandro do PSOL é desrespeitoso com os colegas,  leviano e prepotência em alto grau.

Em tempo: Kelps tinha uma chance de ser prefeito e ela passou. Em 2016 ele viveu seu momento político de grande visibilidade com ações inovadoras de marketing. Seu cavalo passou e o grande nome de Carlos Eduardo, naquele momento, apagou seu sonho de governar Natal.

Em tempo 2: A cada quadriênio de mandato e de exposição, a máscara vai caindo e os eleitores de Natal, principalmente, descobrem quais as intenções verdadeiras do personagem caricato Kelps 'Celular na Mão' Lima.

Em tempo 3: Os grandes da política local já experimentaram das práticas "suaves" do deputado e a cada eleição as portas do tradicional "Café da Tarde" vão se fechando.

Em tempo 4: Salatiel de Souza, Enildo Alves, João Maia, Rafael e Ricardo Motta, Micarla e Miguel Weber, Zé Agripino, Henrique Eduardo e  Robinson Faria (os dois na mesma eleição) já experimentaram da parceria eleitoral do "DIFERENTÃO" do Alecrim. Perguntem como foi a experiência deles com o deputado. 

Em tempo 5: Para quem, recentemente, sugeriu que a Via Costeira fosse entregue à especulação imobiliária e que se construísse prédios e restaurantes no lugar das dunas; para quem afirmou que são SONHADORES os ambientalistas potiguares.... eu não me surpreendo com nada que ele fala ou balbucia.

Em tempo 6: "Quem com Votos fere, com Votos será ferido".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas