Kléber Fernandes chama 11 amigos para o suicídio parcial

Kléber e mais 11 vereadores numa chapa só, juntos na luta por 7 vagas na câmara municipal.

As contas rolam soltas. Segundo os especialistas, é necessário 10 mil votos para eleger um vereador, 22 mil para eleger dois, 34 para eleger três, 46 mil votos para eleger 4 vereadores e assim por diante. 

Segundo Kléber Fernandes Alves Dias, uma chapa com 12 vereadores elegeria sete nomes. Os sete mais votados.

Confira a votação de 2016 e a previsão da votação para esse ano. Na minha análise, lembrem-se.

Raniere Barbosa (PDT) - 10.510 votos / 5 mil
Carla Dickson (PROS) - 7.294 votos / 5 mil
Luiz Almir (PR) - 7.339 votos / 5 mil
Júlia Arruda (PDT) - 5.765 votos / 5 mil
Ana Paula (PSDC) - 5.465 votos / 4 mil
Bispo Francisco de Assis (PRB) - 5.160 votos / 5 mil
Kleber Fernandes (PDT) - 5.061 votos / 7 mil
Chagas Catarino (PDT) - 4.810 votos / 3,5 mil
Aroldo Alves (PSDB) - 4.532 votos / 4 mil
Felipe Alves (PMDB) - 4.511 votos / 4 mil
Preto Aquino (PEN) - 4.206 votos / 5 mil
Professora Eleika (PSL) - 3.758 votos / 5 mil
Cícero Martins (PTB) - 3.237 votos / 4 mil
Ney Lopes Jr. (PSD) - 3.197 votos / 3 mil
Paulinho Freire (SD) - 2.884 votos / 4 mil
Dinarte Torres (PMB) - 2.754 votos / 3 mil
Eriko Jácome (PTN) - 2.577 votos / 4 mil
Robson Carvalho (PMB) - 2.565 votos / 4 mil
Fernando Lucena (PT) - 2.495 votos / 3 mil
Nina Souza (PEN) - 2.289 votos / 4 mil
Klaus Araújo (SD) - 2.279 votos / 3 mil
Aldo Clemente (PMB) - 2.229 votos / 4 mil
Sueldo Medeiros (PHS) - 1.829 votos / 3 mil



Atual legislatura. A tendência é que, dos 29 vereadores que concorrerão a reeleição, de 12 a 14 conseguirão sucesso.

Kléber convidou 11 amigos para sonhar esse sonho. De 12, sete escapariam. Eu acho impossível. Então vejam:
Aroldo, Bispo, Carla Dickson, Felipe Alves, Júlia Arruda, Kléber, Luiz Almir, esses tendo uma média de 5 mil cada, teríamos 35 mil votos e elegeria os 3 primeiros e sobraria um pouquinho de votos;

Robson Carvalho, Nina Souza, Ney Júnior, Dinarte, Ary Gomes e Chagas Catarino, na casa dos 4 mil votos, somariam mais 24 mil votos e a soma da chapa subiria para 59 mil, elegeria mais 2 vereadores, somando 5 eleitos no total da chapa;

Falam que Sueldo, o menos votado de 2016, poderia entrar nessa nominata, eu duvido.

Notem que coloquei 13 nomes no total, Kléber fala em 12 vereadores juntos. 

Uma chapa de vereador pode ter 43 nomes, sendo 14 mulheres e 29 homens. Notaram quantas mulheres têm na provável chapa? Três mulheres somente. Qual é  mágica que Kléber pretende fazer?

Faltam 30 nomes ainda, né isso? Vamos lá a mais um exercício: outros partidos e vereadores estão tentando montar suas nominatas. Érico já tem a sua e está crescendo; Preto está montando. Já está bem perto de salvar ele próprio e dar chance para eleger mais um. Ainda dá tempo.

Paulinho, Ana Paula e Raniere têm as chapas prontas dentro dos seus gabinetes e estruturas. Cícero jura que tem a dele guardada a sete chaves. 

Dagô espera por José Agripino e o DEM, Dickson Júnior está esperando ajuda de Paulinho Freire para encaixá-lo em alguma chapa mais suave.

Maurício Gurgel saiu do PSOL e está no PV, terminando de montar a chapa dele. A ideia é se salvar e dar chance para um candidato oriundo do movimento comunitário se eleger também.

Lucena e Divaneide se salvarão numa chapa do PT, como sempre. O pior que pode acontecer é escapar somente um dos dois. 

Fúlvio e Klaus são da chapa do Solidariedade. Se Klaus for inteligente, como sabemos que é, ele fica quieto, devolve os cargos que têm na prefeitura, pede a benção ao pai Kelps e se salva na chapa do partido de Paulinho da Força Sindical.

Então, se esse monte de chapas e partidos estão sendo montadas, onde o "grupo da morte", o chapão do Klebão, vai achar 30 pré candidatos, um pelo outro que tenham 500 votos, somando 15 mil. Assim sendo, elegeria mais dois, com a sobra dos outros candidatos lá de cima. 5 + 2 = 7. Os sete eleitos que ele faz conta.

Lembrando que tem que achar 11 mulheres com esse potencial e mais 19 homens. 

Na minha previsão, uma chapa assim, com 12 ou 13 vereadores, elegeria, no máximo, 5 nomes. Olhem só o que pode acontecer: nessa realidade, somente 40% dos atuais vereadores se elegeriam. 

Um golpe avassalador na atual conjuntura política da capital. A câmara municipal de Natal estará com um parlamento, na sua maioria, de homens e mulheres oriundos das comunidades. Gente que um dia foi liderança eleitoral dos vereadores que estarão deixando seus tronos no palácio Padre Miguelinho.


Em tempo: sai o Rei e assume o Súdito. Quem diria.

Em tempo 2: todos sabiam que a regra atual seria essa. Acharam que poderiam ganhar tempo e deixar para correr atrás da chapa agora. Resultado: desespero total. Tá faltando pré-candidatos para suprir 29 sonhos.








Comentários

#EMI disse…
Tudo isso p/ provar mais uma vez que, o poder é passageiro... Nunca será eterno!
Unknown disse…
Meu amigo Cyrillo Fernandes, vc fez uma explanação fenomenal da real situação em que se encontram os vereadores que desejam se reeleger. Ao contrário dos assessores deles, pagos com dinheiro público para fazerem campanha os 4 anos, vc dá um choque de realidade. Parabéns!
Viviane disse…
Parabéns pelo texto claro, direto e reto! Isso mostra o quanto precisamos de uma reforma eleitoral profunda para ajeitar esse país. Uma mini reforma eleitoral que não permite mais coligações já mexeu desse jeito nas estruturas! Vamos pra frente...

Postagens mais visitadas deste blog

SEMSUR. Feiras livres voltarão a funcionar nesse final de semana

Vereador de Extremoz chama diretora de escola para "trocar balas".

Fuzileiros Navais de Luto. Faleceu o Sargento Flávio Freitas