4 meses de atraso. Governo do Estado não paga técnicos de enfermagem

Tem para todos os gostos. Entre 5 e 3 meses de atraso, tem técnicos de enfermagem que não recebem as vantagens, etc.

É um festival de descaso.

Outros não estão recebendo gratificação do COVID. Estão trabalhando por paixão.

Veja o inteiro teor do contra-cheque dos técnicos de enfermagem: Salário, Auxílio Transporte, Adicional Noturno, Insalubridade - até o dia 15 é para ser depositado, junto com o salário; E a "produtividade" deve ser depositada até o dia 25 de cada mês. 

São 4 meses sem receber nadica de nada. 

Conselhos federais de medicina e de enfermagem apontam que: morreram 551 médicos e 646 enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem Ou seja: uma morte a cada sete horas e meia.



Partage Norte Shopping

Em tempo: Técnicos de Enfermagem dizem que o setor de RH não se pronuncia. Zero satisfação.

O desconto é de 10% para o IPERN, mas as vantagens que é de direito e foram amplamente divulgadas, nada de pagarem.

TÉCNICO DE ENFERMAGEM DESABAFA

"Amigo Cyrillo, veja que descaso. Tanto trabalho e dedicação para receber em troca essa desatenção. É um desgaste físico e psicológico gigantesco diário para receber esse valor? Vou ser franco: não quero ser chamado de herói e ser tratado com esse descaso. Não merecemos essa injustiça", desabafou um técnico de enfermagem que trabalha na UTI do Hospital João Machado. 


PROFISSIONAIS DA LINHA DE FRENTE ESTÃO MORRENDO

Dados do Ministério da Saúde apontam que pelo menos 484.081 desses profissionais haviam tido infecção pelo novo coronavírus confirmada até o dia 1° de março. Deles, 470 morreram. É 1,3 morte por dia, ou uma a cada 19 horas —e isso antes da semana mais mortífera da doença no Brasil.

O levantamento do Ministério da Saúde usa de duas bases de dados: SIM (Sistema de Informação de Mortalidade), que se abastece da declaração de óbito, e o Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe), no qual o campo de ocupação não é de preenchimento obrigatório. Os dados de 2020 ainda podem sofrer alterações.

Levantamentos do CFM (Conselho Federal de Medicina) e do Cofen (Conselho Federal de Enfermagem), porém, indicam que os dados do Ministério Saúde podem estar subnotificados. Eles apontam a morte de 551 médicos e 646 enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem Ou seja: uma morte a cada sete horas e meia.

A pasta estima de que existam no país 6.649.307 trabalhadores que atuem no segmento da saúde. A taxa de infecção desses profissionais é de 7,3%, contra 5% da população em geral.

Entretanto, a taxa de letalidade (quantidade de pessoas que morrem em relação à quantidade de casos confirmados da doença) é menor.

Enquanto na população em geral esse índice ficam em 2,4%, entre os profissionais da saúde ele fica em 0,1%, se consideradosos dados do ministério, ou 0,3%, segundo os conselhos de classe.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fuzileiro Naval é encontrado morto dentro do quartel

Faleceu Jonaldo Batista, ex-árbitro de futebol do RN

Soldado Fuzileiro Naval está desaparecido há três dias